Um dia em Joanópolis, a terra do lobisomem

 

Corredeira da Cachoeira dos Pretos

Corredeira da Cachoeira dos Pretos

Joanópolis é uma cidadezinha encantadora, na serra da Mantiqueira, a apenas 110 quilômetros de São Paulo, cujo percurso, pela rodovia Fernão Dias, não leva mais de uma hora e meia. Ninguém sabe direito como essa história começou, mas Joanópolis é conhecida como a terra do lobisomem. Não aquele lobisomem sangrento, que ataca as pessoas, mas um lobisomem do bem, simpático, acolhedor, um verdadeiro embaixador da cidade. A história do lobisomem de Joanópolis ganhou mais fôlego ainda quando a folclorista Maria do Rosário de Souza Tavares Lima defendeu sua tese para a Escola do Folclore de São Paulo, e que depois virou livro, “Lobisomem: assombração e realidade”, tendo como local de pesquisa a pacata Joanópolis. A história cresceu tanto que em 1998 foi criada a ACL – Associação dos Criadores de Lobisomem, com o objetivo de divulgar o mito.

Fachada da Associação dos Criadores de Lobisomem

Fachada da Associação dos Criadores de Lobisomem

Por isso mesmo, nossa primeira parada é na sede da associação, na praça principal da cidade, em frente à igreja matriz. Lá você pode adquirir lembranças da cidade que têm o lobisomem como tema, além de ouvir histórias sobre o ilustre personagem. Aliás, como você pode ver na foto, ele costuma ficar na janela esperando os visitantes chegarem…

Depois da visita ao lobisomem, vale continuar na praça, fotografar o coreto, a fachada da antiga pharmacia, dar uma passadinha no Café Catedral, onde outro espécime da nobre linhagem te espera na porta, e provar o delicioso bolo de fubá com uma xícara de chocolate quente.

Lobisomem camarada na porta do Café Catedral

Lobisomem camarada na porta do Café Catedral

Na hora do almoço, ali pertinho da praça, a apenas 3 quilômetros, vale a pena conhecer o Capril do Bosque, com seus queijos de cabra maravilhosos. Peça para dona Heloísa, a proprietária, te mostrar a criação, e depois delicie-se com as criações de sua filha Juliana, chef de cozinha do simpático e acolhedor bistrô da foto. Risotos, quiches, e um stinco de cabrito de comer de joelhos! E não deixe de levar para casa alguns dos melhores queijos de cabra que eu já provei.

Bistrô Capril do Bosque

Bistrô Capril do Bosque

Antes de voltar pra casa, você tem que conhecer a principal atração turística da região: a Cachoeira dos Pretos.

A Cachoeira dos Pretos, com 154 metros de queda, a maior de São Paulo

A Cachoeira dos Pretos, com 154 metros de queda, a maior de São Paulo

Com 154 metros, a Cachoeira dos Pretos é a maior queda d’água de São Paulo. É também a maior cachoeira iluminada do Estado. A paisagem é fascinante, com várias corredeiras e pequenas quedas d’água. É na Cachoeira dos Pretos que se encontra a nascente do Rio Piracicaba. Nos dias quentes, visitantes de todas as partes aparecem para se banhar nas suas águas límpidas e geladas. Você pode fazer bóia-cross, tirolesa, ou alugar o jipe “Kata Loco”, que te leva até o topo da cachoeira, com uma vista de tirar o fôlego.

Agora você já está pronto para voltar para casa. Mais do que as deliciosas histórias do lobisomem camarada, você jamais vai esquecer o maravilhoso espetáculo proporcionado pela natureza!

31 de maio de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *