Tomate é fruta?

IMG_0343
Há controvérsias a respeito da sua origem. Alguns historiadores a atribuem ao Peru, durante a civilização incaica. Dali o tomate teria sido levado para o México. Já os mexicanos reclamam essa primazia. O que importa é que, com as grandes navegações, o tomate chegou à Europa e, depois de vencer preconceitos, como o de que seria venenoso, ganhou o lugar de destaque que tem hoje na culinária de todo o mundo, especialmente na mediterrânea.
Fruto do tomateiro (sim, ele é fruta!), o tomate é rico em licopeno, o poderoso antioxidante que combate os radicais livres, em vitaminas dos complexos A e B, em fósforo, potássio, ácido fólico, cálcio e frutose, ufa!
Segundo Pierre Troigros, pai do Claude “marravilha” Troigros e um dos pioneiros da nouvelle cuisine, o tomate foi o grande protagonista da revolução francesa, a da cozinha, não aquela que cortava cabeças, ao ser levado pelos cozinheiros italianos para a França no século 19. Aliás, quando o tomate chegou à Italia, os italianos deram-lhe logo o nome de pommo d’oro, o pomo de ouro.
Você pode fazer um monte de coisas com o tomate, como protagonista ou coadjuvante, mas sempre com atuação marcante: molhos, saladas, entradas, como as famosas bruschettas italianas ou o delicioso pa amb tomàquet espanhol, sucos, até o maravilhoso bloody mary, numa composição perfeita com vodca, pimenta e um talo de salsão.
Aqui eu preciso fazer um pequeno parêntesis para falar de duas irmãs francesas, Stéphanie e Caroline Tatin, que, ao errarem a mão na torta de maçã que costumavam fazer, inventaram a tarte tatin. Um dos ícones da patisserie francesa, a tarte tatin, segundo a lenda, nasceu assim, por acaso.
Não sei se essa história é verdadeira, mas sei que a tarte tatin de tomate aí da foto não nasceu por acaso. Nasceu do talento da minha amiga Lucia Cucci, e eu tive o privilégio de assistir a execução dessa obra de arte do comecinho até o fim (o fim da torta, que foi rapidamente devorada), e cuja receita, com autorização da Lucia, passo a vocês:
      Tarte tatin de tomate
–      Unte uma forma redonda com azeite (não pode ser de fundo falso, para não perder o caldo do tomate).
–      Corte ao meio 6 a 8 tomates maduros, bem vermelhos, dependendo do tamanho da forma.
–      Tire as sementes e deixe escorrer um pouco a água.
–      Coloque os tomates na forma com a parte aberta para cima.
–      Coloque sal, azeite e alecrim nos tomates e leve ao forno até ficarem macios.
–      Tire do forno, deixe esfriar e recheie com queijo de cabra, ou tallegio, ou outro de sua preferência.
–      Agora, com cuidado, cubra com a massa folhada, dessas prontas, que você pode comprar no supermercado.
–      Coloque no freezer por mais ou menos meia hora e em seguida coloque no forno bem quente. O choque térmico é fundamental para a massa folhada ficar bem crocante.
–      Desenforme, virando a forma numa travessa, para que os tomates fiquem por cima. Regue com azeite. Sirva quente.
Além de linda, a tarte tatin de tomate é deliciosa. Pode ser servida como entrada ou como lanche. E combina muito bem com um vinho branco leve, ou mesmo um espumante.
Bom apetite!
9 de janeiro de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.