Sabores da infância III (carne louca)

  Eu nunca entendi muito bem por que se chamava carne louca. Mas era o carro-chefe em todos os aniversários, de crianças ou de adultos. Também, pudera: podia, e devia, ser feita com carne “de segunda”, mais barata, dentro do orçamento de uma família de classe média, operária, como a minha. E levava uma grande […]