Planos para um domingo em Sampa (com direito a receita grátis)

No filme “Manhattan”, a declaração de amor de Woody Allen à sua ilha famosa, o personagem vivido pelo genial diretor atravessa a cidade numa corrida só para dizer a Mariel Hemingway que ela era a mulher da sua vida, numa das cenas emblemáticas do filme. Em São Paulo não dá pra fazer isso. No máximo você pode ir dos Jardins, ou do Itaim, até o shopping Iguatemi, correndo, se sua compulsão pelas compras estiver incontrolável.
São Paulo não é Nova York, e a comparação que às vezes se faz entre elas, na minha opinião, é absolutamente imprópria. Mas, se eu tivesse o talento de Woody Allen, declararia meu amor a São Paulo num filme tão belo quanto Manhattan. Ou numa música tão bela quanto o “Samba do Avião”, em que Jobim declara seu amor ao Rio de Janeiro.
Costumo alternar meus fins de semana entre São Francisco Xavier e São Paulo. Três fins de semana em sfx e um em São Paulo. E quando chega o fim de semana em São Paulo faço milhões de planos para aproveitar tudo o que a cidade oferece. Claro que não cumpro nem um décimo desses planos. Mas o simples fato de fazê-los já me deixa feliz por viver em São Paulo.
Por exemplo, neste domingo quero ir ao cinema, de preferência ao Reserva Cultural, lá na Paulista, meu preferido.
Quero passar na feirinha da Benedito Calixto, passear pela Liberdade e, quem sabe, dar um pulo até o Mercado Municipal.
Quero andar pelo centro, subindo a São João até a Ipiranga, dobrar à esquerda até praça da República, e depois seguir pela São Luís e, talvez, comer um sanduíche de pernil no Estadão.
Ah, quero ir aos parques, se o tempo estiver bom. Ibirapuera, Villalobos, Burle Marx, Parque do Povo e, se der tempo, até o Parque do Carmo.
Quero, no domingo à noite, comer uma pizza. Pode ser na Braz, na Speranza ou, quem sabe, ir até a Castelões, lá no Brás, a mãe de todas as pizzarias paulistanas.
O que eu acabo de descrever não chega nem aos pés do que São Paulo oferece. Não falei dos teatros, dos shows de música, das inúmeras opções de restaurantes para todos os gostos. Com certeza você já lembrou de pelo menos mais uma dúzia de coisas para fazer em São Paulo.
Em todo o caso, se em algum momento desse longo domingo, longo pelo menos nos planos, você ficar em casa e quiser fazer uma comidinha bem simples, saborosa, fácil de fazer, para agradar à sua adorável companhia, aqui vai minha sugestão:
Penne com azeitonas pretas, tomate cereja e rúcula.
É muito, muito fácil: enquanto o penne está cozinhado em abundante água salgada, você tira o caroço das azeitonas, corta os tomatinhos cereja ao meio, e mistura tudo com as folhas de rúcula, numa travessa bojuda. Tempere com azeite extra-virgem e flor do sal. Reserve. Veja se a massa já está al dente. Se estiver, coe o penne e misture-o, imediatamente, aos ingredientes reservados na travessa. Experimente o sal. Monte os pratos individualmente. E sirva com um chardonnay, ou um tinto leve, um dolcetto, meu preferido para acompanhar este prato.
Bom apetite e bom domingo!
16 de dezembro de 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.