Frigideira de camarões, abobrinha e cebola roxa

IMG_3200

Você que acompanha este blog sabe que eu adoro camarão. Se você digitar a palavra camarão na busca, no alto à direita, vai ver que já coloquei vários posts sobre o nobre crustáceo, inclusive um cujo titulo é “Paixão por camarão”, que você pode conferir aqui:  http://www.vivendocomgosto.com.br/paixao-por-camarao/. Então não vou ficar me repetindo em elogios a esta saborosíssima criatura. Só vou dizer que camarão fica uma delícia tanto em pratos sofisticados, de preparação elaborada, como simplesmente dourado na grelha, sem maiores adereços.

A frigideira de camarões deste post eu inventei outro dia e achei que ficou uma delícia. Todos que provaram, aprovaram. Aliás, não há nada melhor que cozinhar para os amigos e vê-los felizes saboreando o prato que você fez. Então, vamos à receita:

Cortei a abobrinha em fatias bem finas, com casca e tudo. Cortei a cebola também em fatias finas, em meia-lua. Numa frigideira bem larga e de fundo grosso, coloquei um pouco de azeite extra virgem. Quando o azeite já estava bem quente, coloquei as fatias de cebola e em seguida a abobrinha. Fui mexendo com uma colher de pau, até que a abobrinha e a cebola estivessem praticamente caramelizadas. Só então coloquei os camarões. Deixei os camarões dourarem, 3 minutos de cada lado, mexendo sempre, para não queimar os legumes. Acertei o sal. E pronto.

IMG_3204

E o que é que você está vendo no prato acima, além dos camarões, da abobrinha e da cebola roxa? Surpresa! Como eu tinha em casa alguns avocados (aquele espécie de abacate pequeno), resolvi fazer uma “falsa guacamole”, o prato típico peruano. É muito simples. Anote aí: amassei os avocados bem amassadinhos, até virar uma pasta. Coloquei algumas gotas de limão siciliano, para manter a cor. Acrescentei bastante salsinha picada, azeite extra virgem e acertei o sal. Não é exatamente uma guacamole, mas ficou muito bom. E combinou perfeitamente com a frigideira de camarões.
Para acompanhar, um vinho branco de bom corpo, um chardonnay, por exemplo, ou mesmo um tinto menos encorpado, um pinot noir.

Bom apetite!

28 de maio de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.