Comidinhas, capítulo 1

Na minha página pessoal do facebook eu tinha uma série intitulada “não precisa ir longe para ser feliz, só até o Santa Luzia”. Para quem não é de São Paulo, vou logo explicando que Santa Luzia, ou melhor, Casa Santa Luzia, é o paraíso dos gourmets. Aliás, foi dessa série que veio o tema do Vivendo com Gosto, “não precisa ir longe para ser feliz”.
Por falar em gourmet, você sabe a diferença entre gourmet e gourmand? Pois é, há controvérsias a respeito. O Pequeno Dicionário de Gastronomia, de Maria Lucia Gomensoro, diz que gourmand é quem gosta de comer muito, e gourmet é quem sabe comer, conhece e aprecia boas comidas e bebidas.
Já o Larousse Gastronomique, verdadeira bíblia do setor, coloca os dois praticamente no mesmo nível, definindo gourmand como quem aprecia a boa comida, e gourmet como quem sabe escolher e apreciar. Vamos resumir essa história dizendo que ambos apreciam a boa comida e a boa bebida, sendo o gourmet aquele que, além de apreciar, conhece e estuda o mundo dos ingredientes e das preparações dos pratos.
Dito isto, vamos ao que interessa. Gourmet ou gourmand, tem momentos na vida em que a gente não quer nada rebuscado, difícil, sofisticado. Só quer uma comidinha que tanto gourmets quanto gourmands conseguem preparar com um mínimo de ingredientes ao alcance de todos, fáceis de fazer, sem abrir mão do sabor e do prazer de comer. E nem precisa ir até o Santa Luzia. Aqui vão algumas sugestões para vocês, meus queridos e minhas queridas. Espero que gostem!

 IMG_3208

                                                    Salada colorida
Vamos começar com um prato facílimo, delicioso e muito fotogênico. Uma salada bem colorida que sempre faz o maior sucesso. É só juntar arroz branco cozido, cebola roxa crua, míni-ervilha verde bonduelle, tomates vermelhos em cubos e ovos branco-amarelos cozidos. Misture muito bem e regue com azeite extra-virgem. Sal a gosto. Sirva com um vinho tinto beeeeemmm encorpado (os especialistas vão odiar). Depois é só correr para os abraços…

 IMG_4035

                                                 Arroz com ovo
O que é melhor que arroz com ovo? Arroz com dois ovos, claro! Esse é um clássico. Eu faço assim: pode ser com o arroz que sobrou de ontem, ou você pode fazer o arroz na hora. Pode ser aquele de saquinho, pronto em 20 minutos, sem nenhum trabalho. Não importa. O que importa é o ovo. Eu frito os dois ovos, juntos, na manteiga, em fogo baixo. Não coloco sal, só depois de pronto. Quando a clara ficar branquinha, e a gema amarelinha, ainda mole, pouso os ovos sobre o arroz, deixando escorrer a manteiga. Hummm, meu Deus. Divino. Uma ou mais fatias de pão italiano. E uma taça de vinho. E basta!

 IMG_4222

                                             Tartar de salmão
Também facílimo de fazer. É só pegar uma posta ou um filé de salmão fresco e picar na ponta da faca, com cuidado para não virar um purê. Acrescente gengibre em conserva, aquele adocicado servido em restaurante japonês, bem picadinho. Acrescente ainda raspas de limão siciliano, salsinha e um mix de pimentas secas. Misture muito bem. Corrija o sal. Regue com azeite. E sirva com uma taça de vinho branco. Por exemplo, um chardonnay californiano, como o da foto.

 IMG_3968

                                             Barquetas de endívia
Sabe aquele salame que sobrou do aperitivo. O que fazer com ele? Simples, meu amigo, minha amiga. Pique-o bem picadinho. Reserve. Faça um molho com mostarda amarela, azeite e gotas de limão siciliano. Despeje um pouco desse molho em cada folha de endívia. Sobre o molho, coloque o salame picadinho. E por último a salsinha. Pronto. Fica uma delícia. Vai muito bem com uma cerveja tipo ale.

 IMG_3700

                                             Conserva de berinjela
Parece difícil, mas não é: pegue três ou quatro berinjelas, tire a casca, corte em fatias finas no sentido do comprimento e cozinhe numa panela com água, vinagre e sal durante 5 minutos. Escorra bem toda a água numa peneira. Reserve. Pique bem picadinho um maço de salsinha e cebolinha verde, formando um molho bem grosso com sal e azeite extra virgem. Unte um recipiente com o molho. Vá alternando camadas de berinjela com o molho. Termine com o molho e sementes da berinjela. Deixe na geladeira por pelo menos uma hora. Sirva frio com pão italiano e uma taça de vinho. Simples, barato e fácil de fazer.

 IMG_3361

                                               Salada japonesa
Essa, então, gente, nem se fala. Dá pra fazer de olhos fechados! Você cozinha o feijão azuki, aquele que os japoneses usam até pra fazer doce, depois de refogá-lo no azeite extra virgem com cebola e um dente de alho bem picadinhos. Depois de cozido, misture tomate em cubinhos, salsinha e regue com azeite extra-virgem. Corrija o sal. Sirva sobre um berço de rúcula. O nome fui eu que inventei, por causa do feijão azuki…

 IMG_4204

                                 Banana ao rum com mix de sorvetes
Para adoçar este nosso post, você faz o seguinte: pegue quantas bananas forem necessárias, uma por pessoa, e cozinhe com um pouquinho de água e açúcar numa frigideira bem larga. Quando as bananas estiverem quase caramelizadas, despeje sobre elas um cálice de rum de boa procedência e agite a frigideira para que elas flambem. Se não funcionar, use um fósforo. Sirva com uma bola de sorvete de coco da Malásia e outra de chocolate belga, ambos da Diletto. Para acompanhar, um cálice de grappa Nonino, na minha opinião a melhor do mundo!

 Servida a sobremesa, encerro este post com a promessa, para breve, de uma nova seleção de comidinhas para agradar gourmets e gourmands.

Bom apetite!

4 de setembro de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.