A timidez e o peito de frango

IMG_2699

Tem gente que acha que peito de frango é insosso, seco, que só serve para fazer canja. Não é verdade. Se bem que peito de frango é ótimo para uma bela canja, ou para o brodo de um capelleti, ou tortellini, como contei no post http://www.vivendocomgosto.com.br/o-umbigo-de-venus/ .
Como certas pessoas tímidas, que precisam ser entendidas, acolhidas, incentivadas, para mostrarem como são interessantes, o peito de frango também precisa ser tratado com carinho para revelar toda a sua suculência, e não ser tratado como comida de hospital… E isso pode ser feito com extrema facilidade. Só requer um pouquinho de paciência e uma pitada de boa vontade, como com as pessoas de que falei acima. Ah, e no caso do peito de frango, vale também uma pitada de orégano…
Enfim, como tudo na vida, se você souber explorar o lado bom, seja das pessoas com quem convive, seja do pedaço de frango que o destino lhe colocou nas mãos, só vai ganhar com isso. No caso, um suculento, saudável, e barato, peito de frango grelhado. Vamos à receita:
Em primeiro lugar, você precisa de um belo peito de frango inteiro. Ao contrário da canja ou do brodo, onde o osso e a pele são fundamentais, aqui não precisamos nem de um, nem do outro. Veja que não estou falando dos chamados filezinhos de frango, esses sim secos e insossos… Peça para o seu fornecedor o peito inteiro, sem pele e sem osso. Aí você, com todo o cuidado, abre-o ao meio, sem separar as partes, usando uma simples faca, até que ele fique assim como na foto, como se fosse um bife alto. Tempere o peito do frango aberto com limão siciliano, sal, orégano e folhas de louro. Deixe marinando por no mínimo uma hora. Esquente uma grelha, ou uma chapa, bem quente. Tire o frango da marinada. Não precisa secá-lo. Unte-o com azeite extra-virgem, esfregando dos dois lados. Com a grelha bem quente, coloque o peito do frango sobre ela. Quando um lado estiver bem dourado, com aquela cara de grelhado, vire do outro lado. O processo todo leva cerca de meia hora. Mas é bom você fazer um corte na parte mais gorda, com uma faca bem afiada, para ver se a carne já está cozida. Pronto. Sirva com uma salada como a da foto, de alface e tomatinhos sweet, ou com arroz 7 grãos. Para acompanhar, um vinho tinto de médio corpo, como um malbec argentino, que está na moda, ou um carmenere chileno, ou ainda um shiraz sul africano ou californiano. Se preferir cerveja, uma american pale ale vai muito bem. Adoro a da Way Beer de Curitiba.
Ah, e pode convidar aquele amigo, ou amiga, tímido, para cozinhar junto. Você vai ter uma dupla e agradável revelação…

Bom apetite!

14 de agosto de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.